sexta-feira, 24 de abril de 2009

(K)ótico


Não me encontre,
Nem sequer me procure,
Não busque me conhecer,
Mas de forma alguma me ignore.
Estou em toda parte,
Surgirei de forma inesperada.

Sou poeira lançada ao vento

(sou poesia)

Vagando em órbita obtusa e inerte,
Prestes a cruzar teu caminho na forma singela de um flerte.