sexta-feira, 16 de setembro de 2011

Easter Day by Oscar Wilde - Tradução


Dia de Páscoa de Oscar Wilde
(tradução: Alex Alves e Diana K. A. Alves)

As trombetas de prata soaram através da abóboda:
O povo se ajoelhou no chão com admiração:
E erguido sobre os pescoços dos homens eu vi,
Como um grande Deus, o Senhor Santo de Roma.

Como padre, ele vestia um manto mais branco que a espuma,
E, como rei, envolto em vermelho real,
Três coroas de rosas douradas no alto de sua cabeça:
Em esplendor e em luz o Papa transpôs a casa.

Meu coração foi tomado de volta através do passar de longos anos
Por Aquele que perambulou por um mar solitário,
E buscou em vão por um lugar de descanso:

"Raposas têm suas tocas, e cada pássaro seu ninho.
Eu, eu somente, devo vaguear cansado,
E ferir meus pés, e beber vinho salgado com lágrimas."

quarta-feira, 9 de setembro de 2009

Ponto Final


Mal passado
Vermelho
Fogo e sangue

Amorteaindaávida
Du vi da da vi da
N a m o r t e


Escorre tinta seiva
Microbiótica desalojada
Delirantemente asqueroso


Desacordado
Desdormido
Morrido
Processos tecno(i)lógicos instintivamente primitivos


SemSapato
SemiPronto
ProtoSapiens
SemiHomem
SemNada


Um ninguém assado a beira da estrada
.

quarta-feira, 29 de abril de 2009

Andarilho-LadoA


O trem segue um habito,
indo e voltando sempre o mesmo caminho.

Indiferente aos olhares
indiferente aos falares
indiferente aos pensares
indo e voltando sempre o mesmo caminho.

Suas paredes sem cor
seu viver sem sabor
seu andar sem amor.
Sempre sózinho no trilho.

Em meu clamor não quero ser trem.

Quero ser passáro,
gondola ou andarilho.
Qualquer coisa que não tenha chão.

Voltas e rotas, sempre vivendo o querer...